E-commerce de moda é destaque na Revista Arenna

E-commerce de moda é destaque na Revista Arenna

Artigo na Revista Arenna sobre e-commerce de moda escrito por Marcel Karling e Mariana Tavares Serafim, confira na página 37.

Closet 2.0

“Surgido primeiramente como uma extensão da loja física, o e-commerce de moda teve um crescimento exponencial após a popularização dos grupos de compras e do surgimento de promoções de descontos. Parte da contribuição destes vem do fato de que havia certo receio por parte dos consumidores quanto a não conseguir experimentar as roupas ou simplesmente falta de confiança nas transações online na compra de calçados e acessórios, porém com o valor reduzido pelos descontos, os clientes ganharam mais segurança na hora de fazer investimento em moda nas lojas virtuais.

Outra grande contribuição para a popularização da compra de moda pela internet se deu pelas redes sociais como Instagram e Pinterest que são estatisticamente mais acessadas pelo público feminino e claramente maiores consumidores de moda no Brasil, além de desenvolverem uma cultura de compra e darem origem a blogs de moda e estilo que influenciam e muito a tomada de decisões. Podemos ver claramente que a formação de um novo tipo de consumidores para este inovador modelo de negócio, é sem dúvida um dos principais desafios que deve ser enfrentado pelos investidores do segmento, segundo especialistas do setor de e-commerce e experiências junto a Royal Design Estratégico, que apontam que 2014 será o ano tendência para o fortalecimento das bases de dados e o melhor acompanhamento das métricas (indicadores de consumo na internet através de campanhas de anúncio no Google ou pelas redes sociais) e tantas outras ferramentas a disposição dos empresários que pretendem investir no e-commerce como uma forma lucrativa de divulgar sua marca e gerar o aumento das vendas. É preciso ir muito além da analise do estoque, ou faturamento com nas lojas convencionais, a análise das estatísticas de reincidência, os canais mais acessados pelo público alvo da loja e principalmente, uma estratégia de marketing estruturada antes de tudo.

Antes mesmo de se pensar no visual do site, ou de como os produtos serão apresentados é fundamental a contratação de uma agência de marketing especializada para o planejamento estratégico de como será divulgada a nova loja virtual, em quais mídias ela será anunciada, qual a melhor forma de atingir o público e gerar popularização e confiança nos clientes de uma maneira rentável e que gere conversões (numero de acessos no site que geram compras). Falando sobre tendência para o segmento e diferenciais entre as marcas, estão as vendas de produtos que normalmente não são encontrados em todos os locais (como tamanhos especiais), marcas internacionais, nichos de mercados não explorados, produtos cujas decisões de compra são feitas de maneira particular ou que requerem especulação de preços ou características específicas. A tomada de decisões do consumidor é facilitada pela velocidade de busca no meio digital onde é possível visualizar além do que é visto nas lojas e comparar com calma e maior tempo a melhor escolha e produto atende melhor as necessidades. Aplicativos mobile de comparação de preços como Buscapé também são tendência no Brasil e prometem atingir fortemente o ramo de vestuário e acessórios. Pelo que podemos observar no cenário atual, a busca por clientes através de demandas que surgem nos canais de redes sociais é uma forte ferramenta de venda, através da qual o Ponto Frio vem se destacando e alavancando suas vendas, além de aumentar o público jovem que consome produtos muitas vezes através de anúncios enquanto navega em sites sem necessariamente estarem buscando os produtos que a marca oferece.”

Pin It

Quem viu, também gostou de...

Deixe seu comentário